26.10.08

Se alguém perguntar por mim diz que fui por aí

Coisas bem legais que eu li por estes dias.


_______________



Trecho provisório da dissertação de mestrado da manha amiga de fé e irmã camarada Amanda Pilão.

“É nesse ponto que voltamos a tocar no trecho que acima tomamos de Lacan (1959/60): é na medida mesmo em que busca a felicidade, que cabe a cada homem rebelar-se. Trata-se de uma rebelião – insurreição de cada homem – que não é sem o princípio do prazer: é no próprio campo do princípio do prazer que pode insurgir a subversão, uma vez que a este princípio se opõe o princípio de realidade . Dessa subversão – que a cada vez que se faz, se esvaece – opera-se uma inversão pontual, onde o gozo deixa de ser o alvo, para ser o preço que se paga por desejar. É na medida em que se rebela que o homem pode, ou não, encontrar no desejo o seu “modo específico de ser salvo” (FREUD, 1930, p.91).


(parêntese: e conhecer este seu modo de ser salvo não te deixa alegrinho, não. Já tô ligada no meu e, na boa, dói abrir mão de uma cacetada de coisas. Mas simbora.)

_______________


Do Pedro

Penso que eu amo mais a ti do que tu a mim. E meu coração murcha. De tanto amor e tanta ausência. De tanta presença e tanta dor. Meu coração é uma estrela, que explode para que a lua a veja, dentre tantas outras estrelas que explodiram e tantos outros planetas que gravitam na imensidão negra do universo. Em meus olhos explode toda uma constelação quando vejo teu sorriso. Busco a lua em teus olhos e não a vejo. Algumas estrelas explodem simplesmente para depois morrer.


_______________


"S" na entrevista publicada no kit básico, dia 9/10/2008.

"Às vezes, a gente não se dá conta, mas fala sem querer uma quase verdade ou uma quase mentira".

(eu só diria que toda vez que abrimos a boca!)

_______________

Jose Saramago, em seu caderno.

Perguntava-nos o mestre, e também a si mesmo, como se explica que tenha aparecido tão rapidamente o dinheiro para resgatar os bancos e, sem necessidade de qualificativos, se esse dinheiro teria aparecido com a mesma rapidez se tivesse sido solicitado para acudir a uma emergência em África, ou para combater a sida… Não era necessário esperar muito para intuir a resposta. À economia, sim, podemos salvá-la, mas não ao ser humano, esse que deveria ter a prioridade absoluta, fosse quem fosse, estivesse onde estivesse. José Luis Sampedro é um grande humanista, um exemplo de lucidez. O mundo, ao contrário do que às vezes se diz, não está deserto de gente merecedora, como ele, de que lhe dêmos o melhor da nossa atenção. E façamos o que ele nos diz: intervir, intervir, intervir.


_______________

NO blog do Ancelmo

A morte dos partidos

Trecho do artigo de hoje de Jânio de Freitas na " Folha" :

A maior peculiaridade destas eleições (supondo que haja outras) é uma contradição: baseada, como impõem as regras em vigor, na divisão do corpo político em partidos, as eleições formalizaram o atestado de óbito da identidade destes partidos. Os quais, por definição, só podem ter sentido em razão da sua identidade.
Importa pouco, ou nada, se as identidades partidárias já estavam todas extintas, e as eleições vieram a demonstrá-lo com clareza inequívoca, ou se sobreviviam em coma, em morte cerebral, e agora se extinguiram. A realidade é que os partidos não existem. E, sem a reforma política que crie um novo conjunto de partidos com identidades ofertadas à orientação do país, o que se chamará de política serão apenas transações e aventuras de todo tipo. Com a pior índole e nenhum compromisso senão com vantagens.

[ainda em tempo: sábado passado eu quase briguei (é, isso mesmo) na rua com uns cabos eleitorais do PCdoB que estão apoiando o Eduardo Paes. Pra mim, isso é a trombeta do Apocalipse]

_______________


E pra finalizar engraçadinha. Do blog do Adão. (das duas, uma: ou clica na imagem para vê-la decentemente ou vá ao blog do Adão! :D)





(grifos meus. todinhos!)

3 ficando fora de si:

Jana disse...

rsrsrsrs eu roubei do pedro a frase quando eu li no blog dele

beijo

Pedro disse...

Gostei dos textos. Queria ter mais tempo para ler o caderno do Saramago...

Amanda disse...

sério q vc me reproduziu?