19.12.08

Felicidade Clandestina

Criava as mais falsas dificuldades para aquela coisa clandestina que era a felicidade. A felicidade sempre iria ser clandestina para mim. Parece que eu já pressentia. Como demorei! Eu vivia no ar... Havia orgulho e pudor em mim. Eu era uma rainha delicada. 

Às vezes sentava-me na rede, balançando-me com o livro aberto no colo, sem tocá-lo, em êxtase puríssimo.

Não era mais uma menina com um livro: era uma mulher com seu amante.
Lispector, C. Felicidade Clandestina.
________________

Ganhei o livro de aniversário com a dedicatória mais linda do mundo. 

Ei-la (porque eu sou exibida mesmo):

Karo, amiga querida!
Feliz Aniversário! Que a vida lhe proporcione sempre momentos inspiradres o suficiente para que sejam traduzidos em arte através de suas palavras!
Saúde, sucesso, amores e alguns temores... Para aguçar a coragem e temperar o espírito! Amo você! Muito! Sempre!
Beijos, beijos e beijos
da sua amiga-irmã,
Lólis.

Chorei, né?
:)

5 ficando fora de si:

Pedro disse...

Clarice é o que há! E nesse livro tem o conto do carnaval. Aquele que você gosta. Página 25. =]

caicko disse...

Foi lendo esse livro que eu me apaixonei pela Clarice. Boa leitura, amiga. Beijos

Kate disse...

Eu sou mais de chorar tambem. Sinto falta de escrever mas estou num hiato criativo a 7 anos.

perdidanatraducao disse...

que linda a dedicatória!
e ganhar livro é tudo de bom!
parabéns atrasado!
beijo!

M i e n disse...

adoreeeeeei! eu tava falando dos livros dela hoje... dedicatória linda linda, mas você merece! amoo. beijos