9.2.09

Bonheur

É uma outra felicidade, essa que tem no desejo a sua condição. Trata-se de uma felicidade que se faz possível uma vez que o sujeito tenha podido não tê-la. Uma vez que ele tenha podido dar lugar àquilo que falta, àquilo que escapa a toda e qualquer aspiração de unidade, de mestria, e de domínio de si. Nesta outra felicidade, o bom encontro (a bonheur) não é mais aquele que A CADA VEZ não se dá no encontro marcado com o Outro. É um bom encontro que se dá, quando não se espera. Como no chiste, essa outra felicidade “designa, e sempre de lado, aquilo que só é visto quando se olha para outro lugar” (Lacan, 1957/58a, p.29). É a felicidade que se acha, quando se procura por outra coisa. É a felicidade que se esvai, que não se fixa, que é apenas encontro. Um bom encontro.
(O sujeito freudiano em busca de felicidade, dissertação de mestrado de Amanda Pilão)
___________________

Obrigada, Amandita.

Obrigada pela defesa mais bonita que já fui, obrigada por permitir que eu participasse da sua travessia. Que bom encontro esse nosso! 

Foi por sua causa, amiga querida, meu mais recente "sim" à psicanálise. 

Parabéns!


5 ficando fora de si:

Amanda disse...

:)
te amo, amiga querida! viva os bons encontros!!!!!

Carol disse...

(L)

Tb te amo!

Pema Lodrön disse...

Nos anos 60 para 70 tinha um perfume francês mesmo que se chamava Muguet du Bonheur. Aliás ainda tem. Só mudou a embalagem.
http://images.marketplaceadvisor.channeladvisor.com/hi/73/73219/muguet_du_bonheur.jpg

Pema Lodrön disse...

Le bonheur. Masculino.

Joice Viana disse...

'É a felicidade que se acha, quando se procura por outra coisa.'
Taí uma verdade absoluta, ela só aparece assim. Tenta correr atrás dela que ela some. Bicho do mato essa tal felicidade...