22.12.09

Não me abandone, é preciso esquecer, tudo se pode esquecer que já ficou pra trás. Esquecer o tempo dos mal-entendidos
E o tempo perdido de querer saber como, esquecer essas horas que às vezes matam, a golpes de por quês, um coração feliz.

Fica. Eu te oferecerei pérolas de chuva vindas de países onde nunca chove. Eu escavarei a terra mesmo depois da morte, para cobrir teu corpo com ouro e luzes. Criarei um país onde o amor será rei, onde o amor será lei e você será o rei.

Não me abandone.

Eu te Inventarei palavras absurdas que você compreenderá, te falarei daqueles amante que viram de novo seus corações excitados. Eu te contarei a história daquele rei, que morreu porque não pôde te conhecer.

Quantas vezes não se reacendeu o fogo do antigo vulcão que julgávamos velho? Até há quem fale de terras queimadas a produzir mais trigo na melhor primavera.

É quando a tarde cai, para que o céu se inflame o vermelho e o negro não se misturam. Não me abandone. Eu não vou mais chorar, não vou mais falar. Me esconderei aqui só para te ver dançar e sorrir, para te ouvir cantar e rir. Deixa-me ser a sombra da tua sombra? A sombra da tua mão? A sombra do teu cão?

Não me abandone.

_____

Update. traduziria diferente um troço ali no meião.
quando se canta:

Oublier ces heures
Qui tuaient parfois
A coups de pourquoi
Le coeur du bonheure

Esqueça aquelas horas que matam as vezes à tiros de porquês o coração (cerne) dos bons encontros.

4 ficando fora de si:

leitoa doida disse...

Ficando fora de mim, literalmente!

Carol disse...

Briga com o Jacques Brel! :D

Chu disse...

Ne me quitte pas é de cortar o coração de tão, tão linda...

Pedro disse...

ne me quitte pas, me quitte paaaas...

Adoro.