30.4.09

As coisas que só acontecem comigo: o pseudo-resgate do soldado ryan versão uso recreativo da guerra.

Eu tenho um grupo grande de amigos que carinhosamente é entitulado "chat amizade". Nós até poderíamos ter nos conhecido através daquele número de telefone, mas, infelizmente, não. Nos conhecemos através das vias normais: empurrando o pé na cachaça di cum força. Mas nem me incomodo, afinal são estas pieguices que dão sentido à vida (/lairribeiro). O caso é que nos apaixonamos. Todos juntos, fuminantemente e de uma vez. Se ficássemos pelados, ia dar problema. Trocávamos zilhões de emails o dia inteiro, ríamos, conversávamos, nos ligávamos e imaginávamos um mundo onde as paredes eram de wafer e as cachoeiras de chocolate ou de amarula. É, amarula orna. O fato é que tínhamos nada de melhor pra fazer das nossas vidas. Pra você, leitor, ter uma idéia, eu só tinha só que parir minha dissertação de mestrado. Uma chatice. Essas coisas.

Enfim, essa pequena introdução para relembrar do fatídico dia do paint ball.

É conveniente lembrar que sou uma pessoa cagona. Muito cagona, eu diria pra ser bem honesta. Exemplo: dia destes estava na minha caminhada, às 8 da manhã, quando encontro com uma moça. Nuam rua vazia. Só eu e ela. Ela me encara. A música bombava no meu ouvido. Meu deus, eu já vi esta cena, pensei. Ela se aproxima. Perdi meu celular. De novo. No mesmo lugar. Pensei mais uma vez. Ela diz: - Mas você anda rápido, hein?. PUTZ. Não, ela não me roubou! Quase me mijei de tão relaxada que fiquei.

É Então, num destes zilhões de emails, alguém sugere: VAMOS AO PAINTBALL! Oi? Colocar uma roupa esquisita, dar tiro de tinta nas pessoas que eu amo ainda pagar os tubos por isso? Ah, que GENIAL. 

Fui, paguei, me vesti com a roupa esquisita. E começa a brincadeira. Aperte o play.




Brincadeira? BRINCADEIRA?

Três palavras definem: CAM-PO DE BA-TA-LHA. 

Cá entre nós? Me caguei. Sem charme e sem classe mesmo. Me caguei de medo.

Quando eu comecei a ouvir uns "AI, CACETE. ISSO MACHUCA!!!! PARA, PARA, PARA". "ATIRA NA SUA MÃE, SEU ESCROTO", P%¨%#%$#$%# QUE PARIU, ESSA ¨%$¨%#$$%#$% DÓI PRA C*&¨%¨%$%#%$#$$"  e outras coisas bem menos doces, usei a boa e velha tática de guerra: me encondi.  Escontrei um fresta e lá fiquei entricheirada, rezando para que o tempo se esgotasse e eu não levasse nenhuma bala perdida bolinha de tinta. 

Teoricamente resolvido. êêêê! 

Então foi isso: fiquei ali naqueler cantinho, toda apertada e rezando com força para que não me encontrassem e pra que o tempo passasse rápido. La la la. 

Enquanto isso, os gritos de dor e suplica continuavam. As meninas, já fora do jogo, choravam de dor. Praguejavam contra os namorados. E eu toda cagada.  Dane-se, eu sou covarde mermo (sic), e daí? Tudo transcorria conforme o roteiro até que... 

- Rá, rá, rá. RENDIDA. 
- RENDIDA É O CACETE. RA TÁTATÁTÁTÁTÁTÁTÁTÁTÁ.

Levei o maior susto da minha vida. E a reação foi do sistema nervoso autônomo. Puro reflexo de ódio. 

Em resumo: fuzilei meu amigo com todo meu estoque de bolinhas. Duzentas.  Á queima roupa. 

6 ficando fora de si:

Rose Carreiro disse...

HAUHAUHAUAHUAHUAHUAHUA
Tu foi tão enfática que cheguei a pensar q tivesse se cagado literalmente!

Também sou cagona, acho que não aguentaria =/

Beijo

Fábio Vanzo disse...

Quem mora no RJ já é versado nas artes balísticas, né. Que nem um episódio d'Os Simpsons em que o Bart vai pro Exército e, quando o sargento distribui as armas pros moleques, diz: "Você, que estuda na escola pública, deve estar acostumado a um armamento mais pesado". E dá um lança-granadas pra ele.

Ellen Cruz disse...

Ai, adorei!!! Li algumas postagens, vi seu blog nas 10 blogueiras mais gatas - e dos poucos q entrei foi o q mais gostei *-*... Esse post não caiu numa boa hora, mas ri mesmo assim, me imaginando no seu lugar huahuahua. Não é uma hora boa pq to meio "emo", repensando as amizades e vi q não tenho nem 1 time de paint ball huahuahahua
:**

Teté disse...

HAHAHAAHAHAHAHAHA
fala sério
só vc mesma
adoro rir das duas histórias, são as melhores
hahahaha
;**

dan disse...

li e tinha esquecido de comentar (crime): HAHAHAHA final sensacional!

Anny disse...

Não conheço este jogo.
Não sei se gostaria de ir a um.
Mas a sua narração me deixou de cabelo em pé de medo.
Não sei se esta foi a sua intensão. Mas aconteceu.


Até mais.
@Annyllinha