23.11.08

As coisas que só acontecem comigo: a minhoca de metal

Por razõesóbvias, lembro aos meus caros seis leitores (sim, estamos crescendo!) não pego mais o 638. Na verdade, não pego mais qualquer tipo de veículo de grande porte sobre quatro rodas que carregue mais de cinco pessoas*.

Não tendo muita saída (literalmente), fui obrigada a apelar ao tribunal superior:

- Manhêêêêê, tô com meeeeeeeeedo. Que que eu faço?

E ela, com enfado:

- Ué, pega o trem.
(CARACA! É verdade! O trem! Como eu não pensei nisso antes!)
- Pois é, tão inteligente pra umas coisas e tão burrinha pra outras.
- Eu falei alto?
- Falou.
- Ah, tá. heee

Neste momento, ela começou todo um discurso pró-supervia.

- Blablablablablablablablablablablablablablablablabla 20 minutos daqui até o centro da cidade blablablablablablablablabla
- mãe, o que você acabou de dizer?
- Oi? Que tem um camelô que vende chocol...
- Não, mãe. O lance aí de 20 minutos.
- Ah, é. O direto leva 20 minutos daqui até a central. Mas, peraí, tem o parador também.

Que mané "parador". Não precisei ouvir mais nada. Em transe, peguei a minha bolsa e, com passos seguros, me dirigi à estação. Na verdade, eram passos felizes. Na verdade mesmo, eu devia estar pulando. Ou dando muitas piruetas pela rua. Ou fazendo algum tipo de coreografia com os populares. Ou tudo junto. Por causa de oito palavras, o mundo voltava a ser um lugar legal de habitar. “meu deus, 20 minutos”**.

E ao chegar à plataforma...







- ALÔ, MÃE. NÃO DÁ PRA ENTRAR NISSO.
- Mas eu disse que era pra você pegar o parad...

Espumava de ódio. E quando eu espumo de ódio, me torno uma pessoa muito malvada que desliga o telefone na cara própria mãe. Grrrrr.

Assim. Do tipo. O trem pode até levar vinte minutos para chegar à central. Mas, digamos que, entrar nele contraria todas as leis da física.

Ela me liga de volta.

- Carolina, entra no segundo vagão. É mais vazio.
- Ok.

Lacônica assim mesmo: porque quando eu espumo de ódio eu fico muito, muito, muito malvada... uórrórrórrórrórrórró.

(Patética)

Logo veio outro trem. De fato, o segundo vagão é o mais vazio... Engraçado, né?
E vinha uma musica de lá de dentro. Naquele momento fiquei com ódio de mim mesma. E com vergonha por ser tão mau humorada e amarga. Afinal, puxa vida, eram só vinte minutos e as pessoas estavam tão alegres naquele vagão. E elas moravam mais longe que eu, o que quer dizer que elas enfrentam este troço cheio por muito mais tempo. E comemoram alguma coisa às 8 da manhã! E do que eu estava reclamando mesmo?

Demorei a entender do que se tratava. Depois de uns três segundos, comecei a reconhecer as palavras:

Pai, estou aqui
Olha para mim
Desesperado por mais de ti
A tua presença é o meu sustento
a Tua palavra meu alimento
Preciso ouvir a tua voz dizendo assim

Vem filho amado
Vem em meus braços descansar
Que bem seguro te conduzirei
Ao meu altar
Ali falarei contigo
Com meu amor te envolverei
Quero olhar em teus olhos
Tuas feridas sararei
Vem filho amado
Vem como estás

Pai, meu Pai
Meu papai, Aba Pai

(aba? Meu pai aba? Oi?)

- Mãe, o que que é isso aqui?
- É, ué. Você não queria um vagão vazio?
- Queria...
- Então, neste só vão os evangélicos.
- MEU DEUS
Uma moça gritou alto respondendo ao meu “MEU DEUS”:
- Aleluia, senhor! Irmã, aleluia.
- Opa... hehehe... satisfação, viu?

Fiquei quieta, uma vez que é estampado na minha cara que eu não sou evangélica. Alguns minutos depois, vem um senhorzinho me dar um panfleto do culto. Me estende a mão e me entrega o papel:

- Filha, você está sozinha?

Como todos vocês, seis leitores sagazes , sabem não era uma pergunta inocente. Pelo olhar do velhinho, percebi que ele estava seco para disseminar a palavra do senhor. Então, sagaz, como também sou, respondi:

- Não, não. hehehe... Nunca estou sozinha porque sempre estou com o senhor... anh, anh, pescou?
- Hehehe... Isso aí, filha. Isso aí. Hoje tem culto na Universal do Reino do Senhor e blablablablablablablablablablablabla.
- Ok.


Como são só vinte minutos (de verdade, cronometrado), consegui me livrar da conversão.

E, sim, tenho mais historias de trem. Ô, se tenho.


*Rá, acabei de descobrir porque o Google achou que meu blog venderia caminhões e ônibus no AdSense.
** de ônibus, levo mais de uma hora e meia.

4 ficando fora de si:

Mariano disse...

O trem é biza!

Jana disse...

kkkkkkkkkkk por um trem vazio e só por 20 m da pra aturar o culto!

beijo

caicko disse...

Aleluia mesmo foi quando o trem parou, né??? Uhauhauuahuha. Xêro

Cristiana Soares disse...

certa vez resolvi ir à faculdade de trem. peguei em nova iguaçu e fui expelida em mesquita. nunca mais tentei.